Você tem quase tudo dela, o mesmo perfume e a mesma cor, a mesma rosa amarela, só não tem o meu amor…
- Junior Barreto
Meu bem, meu bem… Sua incompreensão já é demais, nunca vi alguém tão incapaz de compreender que o meu amor é bem maior que tudo que existe, mas sua estupidez não lhe deixa ver que eu eu te amo.
- Gal Costa

O amor é bem mais do que isso

O amor parece ter nascido aqui nesse leito sereno para depois morrer confuso, ali, no seu peito ausente. Talvez nada lhe falte e até sobre verdade sobre a mesa do jantar que não jantamos ontem. Talvez até sobre um recado no bolso do paletó, que diz que a paixão é um pequeno pecado doido para ser perdoado. Eu perdoei loucamente todos os seus pecados: um por um, dores por dores, sentimentos por sentimentos. Talvez ainda reste um resto de eu te amo enrolado neste guardanapo que roubei do balcão do meu bar predileto… Na gaiola invisível ainda ouço a liberdade se prender ao canto do curió – meu pássaro favorito! Curiosos são aqueles que querem a verdade, o que eu quero é ver, rever, berrar: reverberar!

Ainda me lembro do dia em que dissemos: seremos felizes até que a poesia nos repare. Primeiro, você riu, eu gargalhei e nós casamos. Depois, eu li, você ouviu e, nus, transamos. Por fim, eu lembrei, você se esqueceu e nós cansamos. Hoje, ainda que me falte você, nunca me faltará poesia. Um poema é o próprio abandono descrito em versos, diversas vezes. É o poeta em estado onírico implorando em rimas, alexandrinos, decassílabos decadentes: “Volta para mim, palavra bonita. Volta!”. Seu mundo sempre foi confuso, uma mistura moderna de Garcia Márquez com qualquer pintura de Velásquez. Você só parece amar quem pisoteia nos seus sonhos, quem tapa os seus sorrisos com lágrimas, quem lhe abandona sem roupa, sem mundo, sem beijo. Veja só: As Meninas na corte do rei parecem cortejar o seu coração. Corta a cena: seu azar foi ter vivido Cem anos de Solidão em uma única relação. Talvez por isso nada lhe emocione mais: nem o piano que toca algumas notas de jazz, nem o coração em guerra que, no peito, hasteia uma bandeira de paz. Talvez por isso nada lhe interesse mais: nem as cartas nem as caras de amor. Todas elas são ridículas, já dizia o poeta, todas elas são partículas de sentimento que não insiste mais… Contudo ainda me pego algumas vezes tateando uma sombra incompreensível que fala e que fuma e que finge estar viva. Só finge! Uma sombra precisa de luz para ser viva. Um amor precisa de vida para reluzir. Eu preciso de ambos para existir.

Agora podemos ir, dobrar uma esquina qualquer, reconhecer que a vida tem seus tropeços, seus problemas e seus soluços. E soluços nada mais são do que palavras que morreram engasgadas na vontade de dizer. O tempo dirá, o remorso roerá, o cigarro apagará e eu tenho a mais absoluta certeza que outra beleza menos confusa e mais Clara amanhecerá no meu mundo para me amar como eu não te amei.

E se você foi covarde, tudo bem… Todo mundo tem suas fraquezas. Nem todo mundo aguenta ser feliz. Eu também preciso de uma Trégua…

Fique com seus romances latinos;

Eu versifico com os meus poemas batidos:

O amor é bem mais do que isso… O amor é bem mais do que tudo isso.

Eu tenho que estar bem, sem estar bem… Isso cansa.
- Cartas dos Derrotados
Nem sempre dura. Nem sempre é eterno. E precisamos lidar com isso. Nem que seja na marra. Nem que tenha que engolir o choro de vez em quando. Nem que a gente tenha que fingir que está tudo bem.
- Clarissa Corrêa
Maldito rádio, agora que parecia que eu ia deixar um falso amor lá na memória, agora que parecia que ia ser agora… Não é momento de machucar meu coração com melodias. Maldito rádio, não me faça pensar nela…
- Adriana Calcanhotto
Nada ficou no lugar… Eu quero entregar suas mentiras, eu vou invadir sua alma, queria falar sua língua. Eu vou publicar os seus segredos, eu vou mergulhar sua guia, eu vou derramar nos seus planos o resto da minha alegria, que é pra ver se você volta, que é pra ver se você vem, que é pra ver se você olha pra mim…
- Adriana Calcanhotto
Escrevo neste instante com algum prévio pudor por vos estar invadindo com tal narrativa tão exterior e explícita. De onde no entanto até sangue arfante de tão vivo de vida poderá quem sabe escorrer e logo se coagular em cubos de geleia trêmula. Será essa história um dia o meu coágulo? Que sei eu. Se há veracidade nela – e é claro que a história é verdadeira embora inventada – , que cada um a reconheça em si mesmo porque todos nós somos um e quem não tem pobreza de dinheiro tem pobreza de espírito ou saudade por lhe faltar coisa mais preciosa que ouro – existe a quem falte o delicado essencial.
- Clarice Lispector
Se você for, vou te esperar com o pensamento que só fica em você. (…) Você passou perto de mim, sem que eu pudesse entender… Levou os meus sentidos todos pra você. Mudou a minha vida e mais, pedi ao vento pra trazer você aqui… Morando nos meus sonhos e na minha memória, pedi ao vento pra trazer você pra mim.
- Jota Quest
Um domingo de tarde sozinha em casa dobrei-me em dois para a frente - como em dores de parto - e vi que a menina em mim estava morrendo. Nunca esquecerei esse domingo. Para cicatrizar levou dias. E eis-me aqui. Dura, silenciosa e heróica. Sem menina dentro de mim.
- Clarice Lispector
Voe por todo mar,
E volte aqui…
Pro meu peito.
- Jota Quest
Outras brigas, outros infernos, outro fim…
Sem volta.
Se você for, não volta.
Se você for, quem vai sou eu,
Pro lado oposto que o seu.
- Queria ser Chico
Amanhã é 23, são 8 dias para o fim do mês, faz tanto tempo que eu não te vejo, queria o teu beijo outra vez.
- Kid Abelha